Toma lá, dá cá

CAUSA: Em mais um capítulo da novela sino-americana, os EUA anunciaram novas restrições a uma das maiores empesas de tecnologia da China, a Huawei, adicionando várias afiliadas dessa empresa a uma lista de entidades estrangeiras que não poderão mais receber importações de produtos tecnológicos americanos classificados como sensíveis. É uma troca de farpas sem fim entre esses dois gigantes.

CONSEQUÊNCIA: Parece até último capítulo de novela, tamanha a expectativa que o assunto gera. Mas, acredite, está apenas começando! E, queira ou não, é a deixa perfeita para afetar o comportamento do mercado financeiro, sobretudo, das moedas. Consequência? Seguimos com muita volatilidade e mais algumas pitadas de aversão ao risco, como se já não bastassem as tamanhas incertezas vindas da pandemia e do quadro fiscal em xeque no Brasil. Assim, nossa moeda segue pressionada. Ontem, ela ultrapassou o patamar de US$/R$ 5,50 e, diante de dias tão incertos, está difícil visualizar um cenário mais brando.

Autora

Cristiane Quartaroli

Siga nossas redes sociais