Demodê

CAUSA: Falou-se muito do Banco Central na semana passada por conta do lançamento da nova nota de R$200 e, nesta semana, as atenções estarão voltadas novamente às ações da mesma instituição. A tão esperada decisão da taxa básica de juros irá acontecer na próxima quarta-feira e os analistas, em sua grande maioria, esperam mais uma queda de 0,25, conduzindo a Selic ao patamar mais baixo da história deste País, 2,0%. Juros tão baixos seriam excelentes se a economia estivesse funcionando intensamente, contudo não é exatamente o que está acontecendo e ainda estamos longe desse cenário.

CONSEQUÊNCIA: E o que isso tem a ver com o câmbio? Muito. Afinal, a relação entre taxa de juros e câmbio é inversa, então, quanto mais baixos os juros, mais pressão sobre a taxa de câmbio. E é exatamente o que vimos ontem, um movimento de depreciação mais intenso da nossa moeda, se descolando novamente do comportamento dos demais emergentes. Os juros mais baixos, somados às incertezas com a pandemia e ao cenário político ainda nebuloso, afastam os investidores, que preferem buscar alternativas mais rentáveis e seguras. É... parece que o Brasil está ficando fora de moda novamente!

Autora

Cristiane Quartaroli
Economista

Siga nossas redes sociais