Blog

Trade service: os serviços de câmbio que toda empresa exportadora e importadora deve ter

Antecipação de crédito, garantia de cobrança e gerenciamento da parte societária entram na lista de serviços do Banco Ourinvest

Um levantamento do Banco Mundial aponta que o Brasil ocupa a posição de número 124 no ranking que mede a facilidade para fazer negócios ao redor do mundo e evidencia a sensação constante de grande burocracia no dia a dia dos negócios.

O relatório anual "Doing Business" mede o impacto das leis e regulações e da burocracia no funcionamento das empresas e chama atenção para o tempo e os valores gastos com processos para garantir o funcionamento das empresas. Agora, imagine a realidade das empresas que realizam importações e exportações e precisam lidar com a burocracia de múltiplos destinos.

Justamente para amenizar essa realidade, contar com um serviço especializado é fundamental para que os empresários tenham tempo de pensar em estratégias de crescimento. O trade service, área que engloba vários serviços financeiros para empresas que atuam com comércio internacional, se mostra fundamental para isso.

Com a contratação de instituições especializadas, os empresários conseguem garantir qualidade e rapidez em serviços que balizam todo o dia a dia de uma operação, como antecipação de crédito, cobrança de exportação e importação, operações estruturadas, operações de registro de capital estrangeiro, regularização de capital estrangeiro e muito mais.

Segundo João Costa Pereira, head of Trade Finance do Banco Ourinvest, é fundamental contar com parceiros especializados para que as operações com empresas estrangeiras tenham assertividade e rapidez. “Quem compra ou vende uma mercadoria para o exterior sempre vai demandar esse serviço e temos uma equipe especializada atenta a todos os detalhes. Além disso, temos mais de 400 parceiros no mundo e conseguimos dar a assessoria necessária e agilizar operações”, explica.

Na prática, as cerca de 23 mil empresas exportadoras e as 34,6 mil importadoras com sede no Brasil, de acordo com dados do Ministério da Economia,necessitam diariamente de serviços de trade service, que englobam toda a questão de câmbio, cobrança, crédito e registros legais quando a operação envolve capital estrangeiro.

Os serviços mais demandados pelas empresas de comércio internacional

Entre os serviços mais demandados estão o de antecipação de crédito e de cobrança. Por exemplo, um frigorífico nacional vende carne para um comprador nos Estados Unidos e vai receber em 120 dias. O empresário nacional pode solicitar ao banco um serviço de análise de crédito para avaliara qualidade do comprador e usar a documentação de exportação para antecipar o câmbio desses recebíveis. “Essa exportação pode ser antecipada e o empresário recebe em reais, sem precisar esperar os três meses e sem correr o risco de cobrança. O Banco Ourinvest negocia a melhor tarifa de câmbio com o cliente e faz o capital de giro ficar mais rápido, assumindo o banco os riscos de câmbio e cobrança”, explica João.

O serviço ainda vai além dessa antecipação de valores, que tem a mesma lógica para casos de importação. O banco vai assessorar o empresário brasileiro que vendeu as carnes para os Estados Unidos sobre as diferentes modalidades de cobrança internacional, com o objetivo de mitigar riscos de crédito e respeitaras práticas comerciais do país do comprador. “Entramos em contato com o banco do comprador ou com instituição financeira parceira nesse país e realizamos todos os trâmites para garantir o processo dentro da modalidade de cobrança acordada. Dessa forma, nós garantimos que haja o pagamento”, afirma João.

Gama de produtos internacionais contempla todas as necessidades das empresas brasileiras

O trade service também atua em outras frentes que vão além do câmbio, como antecipação de crédito e garantia de cobrança. A regularização da parte societária também é um dos serviços prestados.

Imagine que esse mesmo frigorífico brasileiro tenha um sócio americano,que precisa prestar contas sobre os ganhos em solo nacional e evitar multas dos órgãos reguladores. “Cuidamos de todos os procedimentos legais, como a emissão de RDE (Registro Declaratório Eletrônico) e o fechamento de câmbio para declaração ao Banco Central. Estamos aptos a realizar qualquer operação financeira envolvendo empresas importadoras, exportadoras e/ou investimentos internacionais”, diz o executivo.

Com uma equipe especializada para atender os clientes de comércio internacional, o trade service do Banco Ourinvest atende companhias de todos os portes e faz um mapeamento personalizado de todos os serviços necessários para garantir a boa funcionalidade do negócio. “A ideia é que a gente cuide de toda a parte burocrática e deixe o empresário ter tempo e segurança para pensar nas estratégias de crescimento do seu negócio”, finaliza João.

No items found.

Siga o Banco Ourinvest

Logo LinkedinLogo FacebookLogo InstagramLogo TwitterLogo YoutubeLogo Spotify

Conteúdos relacionados

15/9/21

Blog

5 coisas que você deve saber sobre o IBAN

Ao tentar realizar transações internacionais é natural que você se depare com inúmeras siglas, que podem dar a impressão equivocada de qu...

Leia mais

9/9/21

Blog

7 podcasts sobre economia e negócios que você não pode perder

Mais de 35 milhões de brasileiros já são adeptos aos podcasts, segundo uma estimativa recente da Associação Brasileira de Podcasters...

Leia mais

Categorias

Nossa equipe de economistas

Fernanda Consorte

Economista-chefe

Economia para todos é o lema da Fernanda. Com ampla experiência no mercado financeiro, conhecimento técnico apurado e linguagem simples, a autora contribui para a tomada de decisão de clientes e empresas que necessitem desse suporte.

Veja mais

Cristiane Quartaroli

Economista

Economista formada pela USP, com mais de 15 anos de experiência nas área de Economia e Finanças, com foco em análise macroeconômica, resultando em amplo conhecimento do mercado bancário.

Veja mais

Welber Barral

Estrategista de Comex

Mestre em relações internacionais (USFC), Doutor em direito internacional (USP) e pós-doutor em Direito do comércio internacional (Georgetown University), Barral foi secretário de Comércio Exterior do Brasil de 2007 a 2011. Atualmente é, também, diretor no Departamento de Comércio exterior da FIESP e conselheiro da Câmara de Comércio Americana.

Veja mais