Blog

Sopa de Letrinhas: O que é PPC?

Você sabe quanto seu dinheiro vale? À primeira vista, essa pode parecer uma pergunta simples de ser respondida. Mas a verdade é que o valor do dinheiro está associado a inúmeros fatores.

Uma teoria da economia, chamada PPC, ajuda a compreender quanto, de fato, nosso dinheiro vale. A paridade do poder de compra é um indicador feito com base em uma cesta de produtos de diferentes áreas, como alimentação, saúde e transportes.

“O objetivo é mostrar o real valor de cada moeda frente ao dólar”, explica Cristiane Quartaroli, economista e estrategista de câmbio do Banco Ourinvest.

A PPC é um método alternativo à taxa de câmbio para calcular o poder de compra de dois países. A teoria foi formulada pelo economista sueco Gustav Cassel, que afirmava que a taxa de câmbio de um país tende a se desvalorizar na mesma proporção em que aumenta o nível dos preços.

Índice Big Mac

Para ilustrar a PPC, a revista inglesa The Economist criou o Índice Big Mac há mais de três décadas. A publicação usa o preço do principal sanduíche da rede de fast food McDonald 's para entender quanto vale o dinheiro em determinado local.

A receita do Big Mac é replicada da mesma forma em todos os países onde a rede de fast food possui lojas, por isso permite a comparação. A conta sempre é feita com base no dólar, e o indicador coleta dados de países responsáveis por 94% de toda a produção do planeta.

Na prática, se um Big Mac nos Estados Unidos custa US$ 5 e no Brasil R$ 15, então a taxa de câmbio implícita é de 1 dólar para 3 reais. Comparada à taxa de câmbio real, se com 1 dólar é possível trocar mais do que 3 reais, significa que o real está desvalorizado frente ao dólar.

“Ou seja, precisamos de mais dinheiro do que os americanos para comer o mesmo sanduíche”, diz a economista.

Quanto vale um Iphone em cada país

Cristiane explica ainda que a paridade do poder de compra vai além do Big Mac, que é só um exemplo famoso, e envolve uma grande cesta de itens. Mas outros exemplos populares ajudam a ilustrar a teoria.

O iPhone é um deles. O índice Index iPhone mede a paridade do poder de compra por dia trabalhado. A equação leva em conta os dados de renda média dos trabalhadores de cada país mais o preço do iPhone13 Pro (128 GB) em cada mercado. Com isso, dá para concluir quantos dias úteis são necessários épreciso trabalhar para pagar pelo celular da Apple.

O Brasil está na parte de cima da tabela mais recente. Com o segundo preço em dólar mais alto do mundo do modelo iPhone 13Pro 128 GB (US$ 1.808, atrás apenas da Turquia, US$ 1.893, o brasileiro médio precisa trabalhar quase quatro meses corridos para comprar o aparelho.

No lado oposto está a Suíça. O funcionário médio local pode comprar um novo iPhone com cinco dias úteis de trabalho.

PPC dentro do mesmo país

E nem é preciso sair do país para fazer essa comparação sobre o valor do dinheiro. No interior de São Paulo, você consegue tomar um delicioso pingado e comer um pão na chapa por R$ 5 em alguns lugares. Mas já imaginou conseguir isso na região da Avenida Paulista? Quase impossível! Pois é, a paridade do poder de compra também pode ser medida dentro de um mesmo país.

Muitos fatores ajudam a explicar essa diferença de valores. Variáveis como sazonalidade dos produtos, oferta e demanda, custo de produção e mão de obra acabam impactando o indicador.

Também entram nessa conta questões atípicas como a alta do preço do petróleo por conta das tensões internacionais e fatores como a inflação interna de cada país, acordos comerciais vigentes, preços de importação ou produção e diferentes impostos.

Taxa de câmbio ou PPC?

A PPC ajuda a compreender o valor real das moedas. No entanto, Cristiane destaca que esse indicador não substitui a taxa de câmbio nas negociações.

O FMI (Fundo Monetário Internacional) divulga uma lista dos países com maior PIB (Produto Interno Bruto) per capta calculado com base na paridade do poder de compra - e isso muda os resultados práticos.

Por exemplo, o PIB per capta de Luxemburgo, país em primeiro lugar no ranking, é de US$ 106.406. Quando calculado pela PPC ,o valor muda para 77.958 dólares internacionais - unidade hipotética que corresponde ao poder de compra do dólar norte-americano nos Estados Unidos.

De acordo com o ranking elaborado pelo Banco Mundial, com base em números de 2020, o Brasil é a 8ª economia mundial em paridade de poder de compra. É a mesma posição ocupada pelo país em 2019. Em 2018, era o 7º colocado.

Segundo o Banco Mundial, o critério da PPC reflete o custo de vida nos países. A métrica compara a produtividade econômica e os padrões de vida entre as nações.

“A PPC é uma referência, mas não deve ser utilizada isoladamente para nenhuma operação de câmbio”, finaliza Cristiane.

Siga o Banco Ourinvest

Logo LinkedinLogo FacebookLogo InstagramLogo TwitterLogo YoutubeLogo Spotify

Gostou? Fale com um de nossos especialistas e tire suas dúvidas.

Obrigado! Entraremos em contato com você.
Ooops! Alguma coisa deu errado. Tente novamente!

Conteúdos relacionados

4/7/22

Blog

Independência dos Estados Unidos: 5 pontos sobre a maior economia global

O Dia da Independência dos Estados Unidos, comemorado em 4 julho, leva milhões de americanos às ruas para celebrar a data em que as treze...

Leia mais

22/6/22

Blog

O que fazer quando o dólar sobe?

Após ter transitado na casa dos R$ 4 este ano, o dólar inverteu a tendência e passou a se apreciar nas últimas semanas. Afinal, quais são...

Leia mais

Categorias

Nossa equipe de economistas

Fernanda Consorte

Economista-chefe

Economia para todos é o lema da Fernanda. Com ampla experiência no mercado financeiro, conhecimento técnico apurado e linguagem simples, a autora contribui para a tomada de decisão de clientes e empresas que necessitem desse suporte.

Veja mais

Cristiane Quartaroli

Economista

Economista formada pela USP, com mais de 15 anos de experiência nas área de Economia e Finanças, com foco em análise macroeconômica, resultando em amplo conhecimento do mercado bancário.

Veja mais

Welber Barral

Estrategista de Comex

Mestre em relações internacionais (USFC), Doutor em direito internacional (USP) e pós-doutor em Direito do comércio internacional (Georgetown University), Barral foi secretário de Comércio Exterior do Brasil de 2007 a 2011. Atualmente é, também, diretor no Departamento de Comércio exterior da FIESP e conselheiro da Câmara de Comércio Americana.

Veja mais