Causa ou Consequência

CAUSA: O aumento nas taxas de juros em escala global tem causado grande preocupação nos mercados, por conta do risco de recessão que juros altos trazem para as economias. E, quando o FED (Banco Central Americano)anunciou novo aumento da taxa de juros nos EUA, na semana passada, as moedas emergentes sofreram. O real, por exemplo, subiu quase 5% na média em relação à média da semana anterior. Adicionalmente a isso, estamos passando por um período turbulento, institucionalmente falando. O mais recente reajuste nos preços dos combustíveis provocou desconforto no alto escalão do governo (para não falar da população!!!), que já fala em abertura de CPI da estatal.

 

CONSEQUÊNCIA: Com a imagem arranhada, o risco de desvalorização dos ativos é maior. Embora as moedas emergentes se beneficiem com o avanço nos preços das commodities (que seguem em alta), uma crise institucional acaba pesando mais e pode ser sinônimo de desvalorização da moeda. Assim, a chance do dólar permanecer em patamar elevado por aqui no curto prazo é elevada. Lembrando que estamos em ano eleitoral e a sinalização de medidas populistas voltou à tona, trazendo preocupação adicional sobre o futuro do quadro fiscal brasileiro.

Siga o Banco Ourinvest

Logo LinkedinLogo FacebookLogo InstagramLogo TwitterLogo YoutubeLogo Spotify

Gostou? Fale com um de nossos especialistas e tire suas dúvidas.

Obrigado! Entraremos em contato com você.
Ooops! Alguma coisa deu errado. Tente novamente!

Conteúdos relacionados

5/7/22

Causa ou Consequência

Os riscos do Brasil

CAUSA: O Risco-Brasil, medido pelo Embi (índice que mede o desempenho dos títulos emitidos por mercados emergentes), vem subindo desde o...

Leia mais

30/5/22

Causa ou Consequência

Onda de otimismo

CAUSA: As moedas emergentes têm se beneficiado nas últimas semanas com uma onda de otimismo vinda da China, principalmente...

Leia mais

Categorias

Nossa equipe de economistas

Fernanda Consorte

Economista-chefe

Economia para todos é o lema da Fernanda. Com ampla experiência no mercado financeiro, conhecimento técnico apurado e linguagem simples, a autora contribui para a tomada de decisão de clientes e empresas que necessitem desse suporte.

Veja mais

Cristiane Quartaroli

Economista

Economista formada pela USP, com mais de 15 anos de experiência nas área de Economia e Finanças, com foco em análise macroeconômica, resultando em amplo conhecimento do mercado bancário.

Veja mais

Welber Barral

Estrategista de Comex

Mestre em relações internacionais (USFC), Doutor em direito internacional (USP) e pós-doutor em Direito do comércio internacional (Georgetown University), Barral foi secretário de Comércio Exterior do Brasil de 2007 a 2011. Atualmente é, também, diretor no Departamento de Comércio exterior da FIESP e conselheiro da Câmara de Comércio Americana.

Veja mais