Causa ou Consequência

Risco Brasil

CAUSA: E o real continua sendo o destaque – negativo – dentre os demais emergentes. Desde o início deste ano, nossa moeda já subiu mais de 30% frente o dólar, enquanto as moedas dos demais emergentes subiram, em média, 6,1% nessa mesma comparação. As incertezas diante de um quadro pandêmico tão grave, somadas às consequências até agora pouco palpáveis de uma recessão econômica generalizada, provocaram saída em massa dos investimentos estrangeiros nos países emergentes, com destaque – negativo – para o Brasil. Mas por que a nossa taxa de câmbio desvalorizou de forma tão intensa? E o que esperar a partir de agora?

CONSEQUÊNCIA: Diante dos principais emergentes concorrentes do Brasil (e aqui estamos falando de México e Turquia, por exemplo), nossa taxa de juros é atualmente a mais baixa. Já perdemos um grande atrativo. Além disso, a imagem deteriorada do País por conta de decisões políticas polêmicas e duvidosas tem sido um fator adicional de pressão em nossa taxa de câmbio. Enquanto os agentes não recuperarem a confiança de que sairemos dessa crise com algum respaldo econômico e político concreto, é possível que o real continue sendo o patinho feio dos emergentes. É o risco, Brasil!

Siga o Banco Ourinvest

Logo LinkedinLogo FacebookLogo InstagramLogo TwitterLogo YoutubeLogo Spotify

Gostou? Fale com um de nossos especialistas e tire suas dúvidas.

Obrigado! Entraremos em contato com você.
Ooops! Alguma coisa deu errado. Tente novamente!

Conteúdos relacionados

5/7/22

Causa ou Consequência

Os riscos do Brasil

CAUSA: O Risco-Brasil, medido pelo Embi (índice que mede o desempenho dos títulos emitidos por mercados emergentes), vem subindo desde o...

Leia mais

21/6/22

Causa ou Consequência

Risco Institucional

CAUSA: O aumento nas taxas de juros em escala global tem causado grande preocupação nos mercados, por conta do risco de recessão que...

Leia mais

Categorias

Nossa equipe de economistas

Fernanda Consorte

Economista-chefe

Economia para todos é o lema da Fernanda. Com ampla experiência no mercado financeiro, conhecimento técnico apurado e linguagem simples, a autora contribui para a tomada de decisão de clientes e empresas que necessitem desse suporte.

Veja mais

Cristiane Quartaroli

Economista

Economista formada pela USP, com mais de 15 anos de experiência nas área de Economia e Finanças, com foco em análise macroeconômica, resultando em amplo conhecimento do mercado bancário.

Veja mais

Welber Barral

Estrategista de Comex

Mestre em relações internacionais (USFC), Doutor em direito internacional (USP) e pós-doutor em Direito do comércio internacional (Georgetown University), Barral foi secretário de Comércio Exterior do Brasil de 2007 a 2011. Atualmente é, também, diretor no Departamento de Comércio exterior da FIESP e conselheiro da Câmara de Comércio Americana.

Veja mais