Causa ou Consequência

Círculo vicioso

CAUSA: O movimento de aversão ao risco segue nos mercados internacionais e claro que isso afeta o comportamento dos principais ativos brasileiros também. Mas, além disso, ainda temos várias questões internas contribuindo para o sentimento de piora nos mercados locais e afastando os investidores estrangeiros do nosso país. As privatizações vão acontecer ou não? A reforma tributária vai sair do papel ou não? E a administrativa? Como o governo vai lidar com o auxílio- emergencial sem prejudicar ainda mais as contas fiscais? E no meio de tudo isso ainda teremos eleições. A sensação é que estamos andando sem sair do lugar.

CONSEQUÊNCIA: Enquanto continuarmos nesse círculo vicioso, nem lá, nem cá, a aversão ao risco continuará elevada e a chance da nossa moeda seguir tão desvalorizada é grande. E, de fato, só vamos ver algum alívio mais significativo no mercado de câmbio, principalmente, quando as reformas de fato começarem a sair do papel, estimulando de alguma forma os investimentos para que, somente então, a economia possa dar sinais de alguma recuperação. Tem chão pela frente!

Siga o Banco Ourinvest

Logo LinkedinLogo FacebookLogo InstagramLogo TwitterLogo YoutubeLogo Spotify

Gostou? Fale com um de nossos especialistas e tire suas dúvidas.

Obrigado! Entraremos em contato com você.
Ooops! Alguma coisa deu errado. Tente novamente!

Conteúdos relacionados

5/7/22

Causa ou Consequência

Os riscos do Brasil

CAUSA: O Risco-Brasil, medido pelo Embi (índice que mede o desempenho dos títulos emitidos por mercados emergentes), vem subindo desde o...

Leia mais

21/6/22

Causa ou Consequência

Risco Institucional

CAUSA: O aumento nas taxas de juros em escala global tem causado grande preocupação nos mercados, por conta do risco de recessão que...

Leia mais

Categorias

Nossa equipe de economistas

Fernanda Consorte

Economista-chefe

Economia para todos é o lema da Fernanda. Com ampla experiência no mercado financeiro, conhecimento técnico apurado e linguagem simples, a autora contribui para a tomada de decisão de clientes e empresas que necessitem desse suporte.

Veja mais

Cristiane Quartaroli

Economista

Economista formada pela USP, com mais de 15 anos de experiência nas área de Economia e Finanças, com foco em análise macroeconômica, resultando em amplo conhecimento do mercado bancário.

Veja mais

Welber Barral

Estrategista de Comex

Mestre em relações internacionais (USFC), Doutor em direito internacional (USP) e pós-doutor em Direito do comércio internacional (Georgetown University), Barral foi secretário de Comércio Exterior do Brasil de 2007 a 2011. Atualmente é, também, diretor no Departamento de Comércio exterior da FIESP e conselheiro da Câmara de Comércio Americana.

Veja mais