Blog

17 curiosidades sobre o comércio exterior brasileiro

A remessa e a chegada de mercadorias que compõem o comércio exterior brasileiro devem movimentar mais de US$ 500 bilhões em 2021 e alcançar uma cifra recorde.

A estimativa do Ministério da Economia é que as importações cheguem a US$ 202,2 bilhões, uma alta de 27,3% em relação a 2020, e as exportações somem US$ 307,5 bilhões, com crescimento de 46,5%.

Para se ter uma ideia, apenas no primeiro semestre deste ano, foram movimentados US$ 236 bilhões. Enquanto isso, o superávit da balança comercial, que é o saldo entre as exportações e importações, somou US$ 36,7 bilhões no período.

Todas essas cifras mostram a importância do comércio exterior para a recuperação econômica do Brasil e nos colocam em destaque no cenário internacional como um importante parceiro comercial.

Confira a seguir 17 curiosidades sobre o comércio exterior brasileiro no primeiro semestre de 2021:

  1. O comércio Brasil-China no primeiro semestre de 2021 foi de US$ 71 bi.
  2. O comércio Brasil-China é de aproximadamente US$ 1 bi a cada 60 horas.
  3. Nosso superávit comercial com a China no primeiro semestre de 2021 foi de US$ 26,6 bi, o maior da história no relacionamento do Brasil com qualquer país.
  4. Nosso superávit comercial com o mundo todo (incluindo China) no primeiro semestre de 2021 foi de US$ 36,7 bi, o maior da história.
  5. Hoje, o Brasil importa mais da Europa do que da China.
  6. Nossas exportações para a Ásia, excluindo a China, são maiores que nossas exportações para toda a União Europeia.
  7. Nossas exportações para a Ásia, excluindo a China, são equivalentes a todas as nossas exportações para EUA e Argentina somados. EUA e Argentina são respectivamente o 2o. e 3o. maiores destinos de nossas exportações.
  8. O Brasil exportou mais para Singapura do que para a Alemanha.
  9. O Brasil exportou mais para Coreia do Sul do que para a Espanha.
  10. O Brasil exportou mais para a Malásia do que para a Itália.
  11. O Brasil exportou mais para a Índia do que para o Reino Unido.
  12. O Brasil exportou mais para a Tailândia do que para a França.
  13. O Brasil exportou mais para o Vietnã do que para a Suíça.
  14. O Brasil exportou mais para a Indonésia do que para Portugal.
  15. O Brasil exportou mais para Bangladesh do que para Austrália, Dinamarca, Finlândia, Áustria e Israel somados.
  16. O Brasil exportou mais para Hong Kong do que para Suécia e Noruega somadas.
  17. O Brasil em 2021 deve ter US$ 1/2 trilhão (US$ 500 bi) de corrente comercial (soma de exportações e importações) e superávit comercial superior a US$ 100 bi. Essas marcas são recordes históricos para o País.

No items found.

Siga o Banco Ourinvest

Logo LinkedinLogo FacebookLogo InstagramLogo TwitterLogo YoutubeLogo Spotify

Conteúdos relacionados

15/9/21

Blog

5 coisas que você deve saber sobre o IBAN

Ao tentar realizar transações internacionais é natural que você se depare com inúmeras siglas, que podem dar a impressão equivocada de qu...

Leia mais

9/9/21

Blog

7 podcasts sobre economia e negócios que você não pode perder

Mais de 35 milhões de brasileiros já são adeptos aos podcasts, segundo uma estimativa recente da Associação Brasileira de Podcasters...

Leia mais

Categorias

Nossa equipe de economistas

Fernanda Consorte

Economista-chefe

Economia para todos é o lema da Fernanda. Com ampla experiência no mercado financeiro, conhecimento técnico apurado e linguagem simples, a autora contribui para a tomada de decisão de clientes e empresas que necessitem desse suporte.

Veja mais

Cristiane Quartaroli

Economista

Economista formada pela USP, com mais de 15 anos de experiência nas área de Economia e Finanças, com foco em análise macroeconômica, resultando em amplo conhecimento do mercado bancário.

Veja mais

Welber Barral

Estrategista de Comex

Mestre em relações internacionais (USFC), Doutor em direito internacional (USP) e pós-doutor em Direito do comércio internacional (Georgetown University), Barral foi secretário de Comércio Exterior do Brasil de 2007 a 2011. Atualmente é, também, diretor no Departamento de Comércio exterior da FIESP e conselheiro da Câmara de Comércio Americana.

Veja mais